sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

O efeito da Desmotivação Inconsciente no seu trabalho

Grandes conferencistas mencionam frequentemente o efeito da Desmotivação Inconsciente no ambiente de trabalho, embora não o façam de modo tão explícito. Mas, o que é exatamente a Desmotivação Inconsciente?


Cada um de nós tem uma rotina diária. Amiúde começando logo cedo, quando nos levantamos. Como você iniciará e conduzirá essa rotina tem muito a ver com o estado de espírito que você chegará ao seu trabalho. Não existe absolutamente condição de você chegar à porta do local de seu trabalho e modificar seu estado de espírito, como num passe de mágica.

O mestre Godri fala sobre a forma de encararmos nosso emprego, e como essa forma afeta nossa postura comportamental dentro dele. Invariavelmente usamos sinônimos incorretos e desmotivadores para nos referirmos ao emprego. O marido, ao colocar seu uniforme de trabalho diz à esposa: -"Querida, vou para a guerra!" ou "Vou para o batente", "luta", ou "batalha". Realmente, segundo Daniel Godri, não existe condição do colaborador manter-se motivado em seu trabalho se ele mesmo associa seu emprego com "batalha", "guerra", "luta" ou outra forma de sofrimento. E se ele acordou e iniciou o dia pensando dessa forma antes de se dirigir ao seu emprego, forçosamente transferirá essa atitude mental para o seu atendimento, ou para qualquer outra atividade que executará dentro de sua profissão.

Não posso deixar de citar o professor Luiz Marins, pelas tantas palestras que ouvi dele, e que me serviram de inspiração para iniciar minha carreira em treinamentos corporativos.
O professor Marins cita o que podemos chamar de "Colaborador Urubu". Aquele que, a primeira coisa que faz quando acorda logo cedo é ligar a TV num noticiário sensacionalista. Ele começa a encher sua mente com notícias de morte, espancamento, violência, crise mundial, catástrofes naturais etc. Alguns chegam a ficar com os músculos retesados e a face angustiada, após ouvirem alguns minutos de noticiários desse gênero. Obviamente, essa angústia será transferida para a sua vida profissional.

Em minhas palestras incentivo meus ouvintes a "sinonimizar" a palavra "trabalho" com "compromisso". Todos nós gostamos de cumprir com nossos compromissos. A sensação de dever cumprido é muito boa.


Antes de ir para o trabalho, olhe para sua esposa ou abra a porta do quarto de seu filho pequeno, que ainda dorme, e pense que você tem um compromisso com ele. Ou imagine o compromisso que você tem com seus clientes, com seus colegas de trabalho. Ao final do dia, pense como foi bom saldar esse compromisso.

Em suma, a forma como você inicia o seu dia terá muitíssimo a ver com a maneira com que você trabalha. Acostume-se a se levantar pela manhã sem pressa. Não somos máquinas programadas, somos seres humanos. Melhor ainda, somos animais racionais, e mesmo assim podemos aprender com os animais irracionais.

Se o leitor tem um cachorro de estimação, sem dúvida já percebeu como ele se levanta depois de um bom sono. O animal estica-se todo e se espreguiça, sem pressa. Quando você se levantar amanhã, experimente fazer isso também. Sem pressa, estique o corpo, faça um alongamento, espreguice-se.

Acorde mais cedo, para não correr o risco de se estressar com o atraso, e faça uma boa caminhada, liberando beta-endorfina (um dos 20 tipos de endorfina, responsáveis pela sensação de bem-estar). Se você tem o costume de assistir TV, enquanto toma seu café matinal, prefira os desenhos animados, mesmo aqueles que estava cansado de ver quando criança. Relembre como você dava boas gargalhadas de coisas tão simples nesses desenhos. Se possível, vá para o trabalho caminhando e contemple as lojas, as casas e as ruas que nunca observou de dentro do carro, apesar de ter passado inúmeras vezes pelo mesmo caminho. No outro dia, mude o trajeto. Observe novas casas, novas lojas, novas ruas. Crie o hábito de cumprimentar alegremente cada pessoa dentro da empresa, ao menos do seu setor, se não for possível todas. Não deixe que a Desmotivação Inconsciente tome conta de você.

Coloque a foto de seu filho pequeno, seu cônjuge, ou alguém que é muito especial para você e que lhe dará uma carga de ânimo quando for necessário. Que tal fazer desse artigo assunto de sua próxima reunião de colaboradores?

Por - Lucídio Rodrigues Ferreira
Fonte - RH.com.br

2 comentários:

  1. Este blog é uma representação exata de competências. Eu gosto da sua recomendação. Um grande conceito que reflete os pensamentos do escritor. Consultoria RH

    ResponderExcluir
  2. Obrigada! Fico feliz em saber que consigo transmitir esse conhecimento que é tão importante para o desenvolvimento pessoal, profissional e das organizações.

    Abraços.

    Talita Helena

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.